Veracidade dos alimentos afrodisíacos

Há diversos estudos sobre este tema, entretanto, a grande maioria não emerge para um ponto em comum, já que envolve o psicológico da pessoa que está sendo pesquisada. Mas, é comprovado que o desejo sexual é fortemente estimulado pelos nossos sentidos e, por eles serem tão abstratos e únicos em cada um, varia.

Mas, questões de algumas destas pesquisas podem ser levantadas para nos ajudar a entender a química que alguns alimentos afrodisíacos provocam em nós.

Antes de ingeri-los, os alimentos que lembram os órgãos sexuais, pela visão ou toque, podem provocar a excitação como o abacate e a banana que remetem as partes genitais masculinas.

O olfato também apresenta uma estreita relação com a excitação sexual, verificado na natureza onde machos vão até as fêmeas atraídos pelo feromônio há quilômetros de distância. Outro fator que comprova que o cheiro é um forte afrodisíaco são os anti afrodisíacos, como o mal hálito.

Estudo do neurologista Alan Hirch (Hospital Mercy, Chicago- EUA) observou que pessoas que perdiam o olfato e paladar apresentavam problemas sexuais. E, verificando mais de 3 mil pacientes, concluiu que o cheiro da comida aumentava o fluxo sanguíneo peniano e vaginal. Em sua pesquisa, o que mais excitou os homens foi o cheiro de torta de abóbora e pipoca com manteiga e, para as mulheres, a bala de alcaçuz; enquanto que o cheiro de cerveja e churrasco inibiram a excitação feminina.

Agora, já se tratando sobre a ingestão dos alimentos, os que aumentam o fluxo sanguíneo mais intensamente são muito citados como afrodisíacos, já que, consequentemente, o fluxo de sangue para o órgão genital também aumenta e, alguns permitem que o pênis fique ereto por mais tempo, como o Ginko biloba e o Corynanthe johimbe. Mas o Ginko pode ter o efeito indesejado de aumentar muito o batimento cardíaco e causar ansiedade. Letícia Crespo, da UNIRIO, para a revista “Viva Saúde”, disse que o gengibre é utilizado em toda a Ásia como um forte afrodisíaco pela raiz dilatar os vasos sanguíneos,

Ainda, o nutrólogo Edson Credídio, da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) disse que algumas substâncias existentes nos alimentos afrodisíacos têm a função de modular os níveis de testosterona no organismo ou dilatar os vasos sanguíneos, aumentando a quantidade de sangue que circula nos órgãos genitais.

De fato, a testosterona aumenta o desejo em homens e mulheres e este é o efeito que o vinho tinto tem nas mulheres, aumentando os níveis desse hormônio. Ainda, um estudo da Universidade de Florença na Itália, através de um questionário chamado Índice de interesse sexual feminino, com três grupos de mulheres, resultou que o grupo que bebeu vinho tinto uma ou duas vezes por dia apresentou maior desejo sexual comparado com outros grupos. O grupo que bebeu menos, teve menor desejo.

Outros alimentos afrodisíacos são os que apresentam vitaminas E e B3 como ovos, ostras, amendoim, leite e derivados; frutas e legumes. Pois participam na formação dos hormônios sexuais e também auxiliam no bem-estar corporal aumentando a circulação sanguínea e, podem contribuir para aumentar o desejo sexual. 

Referências:

  • REVISTA ADEGA UOL http://revistaadega.uol.com.br/artigo/vinho-tinto-aumenta-o-interesse-sexual-nas-mulheres_755.htm

Leia também!

Ellen Garcia

Ellen Garcia

view all posts

Bióloga, de Piedade-SP. Graduada pela UNESP, me interesso em meio ambiente de forma geral: animais, plantas, ecologia, cidades sustentáveis, reciclagem, educação ambiental, alimentação saudável, vegetariana e vegana, hortas caseiras, produtos orgânicos e locais, decoração de ambientes, artesanatos, literatura e escrita.

0 Comments CLIQUE E COMENTE →


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>