Jericoacoara e um olhar para o Sertão – Sobral

Turismo ecológico no Ceará – Roteiro de viagem, PARTE 1.

Esse texto é sobre minha viagem ao Ceará e de como estou impressionada com as peculiaridades do Nordeste. Deixo claro que nenhum trecho desse texto tem a intenção de ofender, lembrem-se que foi escrito por uma leiga paraense.

Uma beleza singular, uma vegetação endêmica, a água com o pH neutro (Sim, por que no Pará a água que consumimos é ácida – 3,8 ou mais), os solos alcalinos, os rochedos cristalinos, as cidades rodeadas de serras, a seca, a forma de como eles criam os animais, e conseguem ter agricultura mesmo com escassez de água tão grande. Tudo me impressionou no Nordeste.

A minha viagem começou dia 16 de novembro de 2017, quando saí de Belém às 5:30 da manhã, atravessando parte do Pará, o Maranhão e o Piauí, até chegar em Sobral-CE, 24 horas depois do embarque (para os interessados, o valor da passagem foi 160 reais). No dia da chegada fiz uma outra viagem para conhecer a tão famosa Jericoacoara, há 3 horas dali.

Passei por cidades como Massapê, Senador Sá, Martinópole, Granja, Parazinho, Cruz, Preá, Jijoca de Jericoacoara, as cidades são próximas, e isso me deixa impressionada, visto minhas referências do Norte, que só se ver população com no mínimo duas horas de viagem.

Enfim, toda a publicidade sobre Jericoacoara não é exagero, o lugar possui uma beleza única e a energia incrível. A vila de Jericoacoara antes era uma vila de pescadores, e hoje a população nativa foca em atender de forma artesanal e tradicional a demanda turística que cresce de forma exponencial no lugar, mas a pressão de grandes empresas torna mais uma vez uma dificuldade, os serviços oferecidos por essas são cada vez mais luxuosos e caros. A vila é calma e segura, e possui opções para todos os bolsos, para quem quer conhecer “Jeri”, não tenham tanto medo dos gastos.

Bom, a passagem de Sobral até “Jeri” não pude contabilizar por que dividi a gasolina do carro com amigos, mas chegando em Jijoca, almoçamos por 5 reais em um churrasquinho e pagamos o estacionamento de 2 dias por 40 reais. O carro em Jijoca por 20 reais e foi necessário pagar um translado por mais 20 reais (ida e volta até a Vila – lá conseguimos um Camping por 30 reais a diária da barraca armada –  Camping Naturezapróximo ao Serrote. Para quem é econômico, mochileiro, vai dar certo. Para alimentação compramos comida no comércio que tem na vila e fazíamos a Janta e café da manhã no camping mesmo. O almoço conseguimos por 10 reais em um lugar meio distante, mas ainda dentro da vila.

No final de 2 dias voltamos para Sobral. Uma cidade tombada por sua história rica em contos religiosos e resistência negra, além das marcantes histórias sobre coronelismo e cangaceiros. Ainda tem a história de que foi no Ceará que Einstein conseguiu provar a teoria da relatividade com a visualização do Eclipse solar completo. Einstein não foi ao estado, mas mandou seus pesquisadores, e todo material utilizado na época hoje é exposto no museu do Eclipse em Sobral.

São muitas opções culturais em Sobral, dentre elas aponto as programações culturais na Margem esquerda do Rio Acaraú, o Teatro, Casa 4 portas na mesa, Instituto ECOA, e etc. São apresentações que sempre fazem referência a própria história e a resistência negra. Para não me estender muito, continuarei as recomendações e críticas em outro texto, tenho muito a falar do Ceará ainda.

Leia também!

0 Comments CLIQUE E COMENTE →


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>